Bacia de Santos

Blocos S-M-1037, S-M-1101, S-M-1102, S-M-1165, S-M-1166 and S-M-1537

A Karoon entrou no Brasil em 2008 através da 9ª Rodada de Licitações, adquirindo 5 blocos off-shore S-M-1037, S-M-1101, S-M-1102, S-M-1165, S-M-1166 (os “Blocos”) na Bacia de Santos localizados aproximadamente a 200 quilómetros da Costa do estado de São Paulo, Brasil. Essa iniciativa estratégica adicionou uma prospectividade de óleo significativa em uma bacia com sistemas de petróleo comprovados, geologia favorável, uma variedade de tipos de play e custos de exploração flexíveis.

A Karoon assinou, em setembro de 2012, contratos de farm-out de 35% de participação para a Pacific Exploration and Production Corp. (“Pacific”), anteriormente denominada Pacific Rubiales Energy Corp. Após a Pacific registrar um pedido de proteção contra insolvência em abril de 2016, a Karoon adquiriu, em setembro de 2016, 35% de participação da Pacific nos Blocos através do pagamento inicial à vista de US$ 15,5 milhões, com recurso contingente de US$ 5 milhões a ser pago na produção mínima de 1 milhão de barris de óleo equivalente.

Até o momento, a Karoon conduziu 2 campanhas de perfuração nos blocos, totalizando 6 poços verticais, juntamente com 2 perfurações direcionais.

O sucesso da exploração resultou, em 2013, nas descobertas de óleo leve em Kangaroo e Bilby, às quais se seguiu a de óleo leve em Echidna, em 2015. Ambas as descobertas de petróleo em Kangaroo e Echidna, submetidas a teste de fluxo em 2015, apresentaram resultados encorajadores.

Após a última campanha de perfuração, concluída em maio de 2015, a avaliação resultou na atualização de recursos contingentes anunciados em abril de 2018.  Além disso, a Karoon apresentou a documentação final para proceder à etapa de fornecimento da “Declaração de Comercialidade” à ANP do Brasil, referente às áreas que cobrem as descobertas de petróleo de Echidna e Kangaroo.

O Bloco S-M-1537 foi arrematado na 14ª Rodada de Licitações da ANP, em 2017, após longa avaliação dos blocos disponíveis ao sul da Bacia de Santos. O bloco foi arrematado com baixo comprometimento de capital, que envolverá a aquisição sísmica e os estudos geológicos. O Bloco S-M-1537 oferece uma oportunidade interessante em termos de exploração de baixo risco, com potencial para produzir centenas de milhões de barris de petróleo. A frente principal tem como objetivo arenitos turbidíticos do período Oligoceno, com porosidade e permeabilidade muito altas, conforme observado nos reservatórios produtores do Oligoceno pertencentes aos campos de petróleo de Baúna e Piracaba. A análise sísmica apresenta uma excelente anomalia de amplitude versus afastamento (AVO), o que pode ser indício da presença de petróleo aprisionado.

A Karoon beneficiou-se de sua perícia e de seu conhecimento sobre a Bacia, por meio da avaliação de Kangaroo e Echidna e dos campos próximos, para classificar esse Bloco como o de maior potencial ao sul da Bacia de Santos. Com sucesso, existem muitas possibilidades de sinergia, com o potencial desenvolvimento conjunto nas descobertas de Kangaroo e Echidna.

Participação

Participações em  S-M-1037, S-M-1101, S-M-1102, S-M-1165, S-M-1166 e S-M-1537 :

Karoon Petróleo & Gas Ltda (Operadora) 100%

 

História de Exploração

Em 2010, a Karoon realizou, no Brasil, a primeira aquisição de dados sísmicos com o método wide azimuth em 3D. Os resultados desse levantamento sísmico em 3D foram essenciais ao planejamento da campanha da Karoon para a perfuração exploratória da Fase 1, concluída em 2013.

Em 2013, a Karoon concluiu com sucesso a campanha de perfuração exploratória da Fase 1, que incluiu 3 poços que resultaram em um grande sucesso de exploração antecipada, com descobertas de petróleo nos campos Kangaroo-1 e Bilby-1. Os resultados no campo de Emu-1 também foram animadores, com arenitos de boa qualidade encontrados com os indícios de petróleo.

Após o sucesso da fase inicial dos Contratos de Concessão, foi aprovado pela ANP – Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, em 2013, um Plano de Avaliação de Descobertas (PAD), que rege a etapa seguinte dos Contratos de Concessão. A área revisada dos Blocos contemplados pelo PAD é de aproximadamente 549 quilômetros quadrados.

A segunda fase da campanha de exploração e de perfuração de avaliação teve início em novembro de 2014 e foi responsável pela exploração do poço de avaliação Kangaroo-2 (dezembro de 2014), seguido pelos poços exploratórios Kangaroo West-1 (março de 2015) e Echidna-1 (abril de 2015). Essa campanha de perfuração foi projetada visando uma melhor definição do porte e da qualidade do recurso contingente da descoberta de Kangaroo, a obtenção de um teste de produção e a perfuração dos alvos exploratórios mais próximos.

Foi concedido à Karoon um bloco exploratório ao sul da Bacia de Santos, o S-M-1537, localizado no estado de Santa Catarina, litoral do Brasil, como parte da 14ª Rodada de Licitações da ANP, realizada em setembro de 2017.